PortugueseEnglish
Mandingueiro de Luanda
Mandingueiro de Angola
Eu sou mandingueiro Quilombola

O que é que eu sou?

Mandingueiro de Luanda
Mandingueiro de Angola
Eu sou mandingueiro Quilombola

Fui trazido em navio negreiro
Escravizado por estrangeiro
Tratado como animal
Pelos chicotes dos feudal

Mandingueiro de Luanda
Mandingueiro de Angola
Eu sou mandingueiro Quilombola

É foi na África que eu nasci
Mas no Brasil eu me criei
Ainda sinto a dor das correntes
Do sofrimento daquela gente

Mandingueiro de Luanda
Mandingueiro de Angola
Eu sou mandingueiro Quilombola

E do trabalho eu não fugi
Mas dos maus tratos isso sim
Sinto saudade do meu povo
Uma dor que corrói meu corpo

Mandingueiro de Luanda
Mandingueiro de Angola
Eu sou mandingueiro Quilombola

E a guerra civil destruiu Luanda
O ódio, a guerra é uma vergonha
E eu sou malungo de navio negreiro
Em minha terra sou estrangeiro

Mandingueiro de Luanda
Mandingueiro de Angola
Eu sou mandingueiro Quilombola

As favelas e guetos de hoje em dia
São herança de pura covardia
E a cor da pele da desigualdade
Não se vê negro na universidade

Mandingueiro de Luanda
Mandingueiro de Angola
Eu sou mandingueiro Quilombola

Olha chama Gangazumba, chama Zumbi
Chama mestre Bimba, chama Mandela
Então volta aqui para semear a paz
E o negro ter mais valor

Mandingueiro de Luanda
Mandingueiro de Angola
Eu sou mandingueiro Quilombola

E o que é que eu sou?

Mandingueiro de Luanda
Mandingueiro de Angola
Eu sou mandingueiro Quilombola

Luanda mandingueiro
Angola mandingueiro
I’m a Quilombola mandingueiro

What am I?

Luanda mandingueiro
Angola mandingueiro
I’m a Quilombola mandingueiro

I was brought on a slave ship
Enslaved by a foreigner
Treated like an animal
By the whips of the feudals

Luanda mandingueiro
Angola mandingueiro
I’m a Quilombola mandingueiro

It was in Africa that I was born
But in Brazil I grew up
I still feel the pain of the chains
Of the suffering of those people

Luanda mandingueiro
Angola mandingueiro
I’m a Quilombola mandingueiro

And from work I didn’t run away
But of the mistreatments it does
I miss my people
A pain that corrodes my body

Luanda mandingueiro
Angola mandingueiro
I’m a Quilombola mandingueiro

And the civil war destroyed Luanda
The hate, the war is a shame
And I’m a slave ship malungo
In my land I am a foreigner

Luanda mandingueiro
Angola mandingueiro
I’m a Quilombola mandingueiro

Today’s slums and ghettos
They are inheritance of pure cowardice
And the skin color of inequality
You don’t see black people at university

Luanda mandingueiro
Angola mandingueiro
I’m a Quilombola mandingueiro

Look call Gangazumba, call Zumbi
Call master Bimba, call Mandela
So come back here to sow peace
And for black people to be valued

Luanda mandingueiro
Angola mandingueiro
I’m a Quilombola mandingueiro

And what am I?

Luanda mandingueiro
Angola mandingueiro
I’m a Quilombola mandingueiro

Author: Unknown (Do you know who wrote this song? Tell us in the comments!)